PATAGÓNIA: Um lugar de sonho no fim do mundo

Sempre que ouvia falar em Patagónia vinha-me a imagem à cabeça de um lugar longínquo, isolado e difícil de chegar. Não é por acaso que Ushuaia é também conhecido por “fin del mundo“. É de facto longe, mas hoje em dia é um lugar bastante fácil de aceder. Podes apanhar um voo de Buenos Aires com a LATAM ou Aerolineas Argentinas  e chegar facilmente a Ushuaia ou a El Calafate, que fica um pouco mais a norte.

A Patagónia, para mim, foi uma aventura inesperada. Não estava minimamente preparada, não fazia parte inicialmente dos meus planos e não sabia bem o que esperar. Viajar sem planos por vezes tem destas coisas. Há lugares que vale a pena pesquisar mais informação antes de chegar e Patagónia é um deles, mas não se preocupem porque eu fiz grande parte do trabalho para vocês. A Patagónia está dividida entre a Argentina e o Chile. Eu apenas visitei o lado Argentino, e amei! O lado Chileno está menos explorado, o que para os verdadeiros aventureiros é uma grande atração, no entanto, o acesso e a deslocação entre os vários lugares é mais complicada. É preciso tempo, paciência e um bom físico para as longas caminhadas. Tinha muita vontade de o fazer mas novamente houve outra mudança de planos e acabei por fazer a Patagónia em menos tempo porque decidi ir passar o carnaval ao Rio de Janeiro (it’s always a good idea).

Quando visitar a Patagónia?

Dezembro a Fevereiro, na Argentina, é época alta: temperaturas altas e… preços altos! Eu fui em Janeiro, e se o voltasse a fazer não iria nesta altura. Apesar de ser muito bom fazer as caminhadas com temperaturas mais altas, os preços não agradam a ninguém. Para terem uma ideia o preço por noite num hostel vai desde €20 e uma refeição custa à volta do mesmo preço. Com estes preços não se consegue viajar por muito tempo! A altura ideal seria em Novembro ou em Março, onde podes aproveitar as temperaturas amenas, menos turistas e preços mais em conta. Entre Abril-Outubro muitos parques estão fechados devido ao frio e ao gelo.

Dica número 1: leva uma tenda, saco de cama e sapatos de caminhada! Basicamente vai equipado/a para acampar e preparado/a também para o frio que faz de noite.

Uma vez que visitar este lugar não estava nos meus planos inicialmente, cheguei a Ushuaia muito pouco preparada. Assim que cheguei percebi que ia perder bastante se não fizesse as caminhadas de 2-4 dias pelas montanhas, o que implicava dormir em tendas. Comprar este tipo de equipamento não é barato, principalmente se estás no fim do mundo. Acabei por ir a um supermercado e comprei uma tenda e um saco-cama que até hoje carrego e é grande, volumoso e nada prático. No entanto tem-me sido bastante útil. Lição aprendida!

Dica número 2: antes de chegares ao Ushuaia compra o teu bilhete de regresso para o teu próximo destino.

Uma vez mais, por falta de organização, cheguei ao Ushuaia de avião mas sem saber para onde ia a seguir. No dia seguinte fui comprar o bilhete de autocarro para ir até ao próximo destino e apenas havia disponibilidade para 4 dias depois. Outro inconveniente de viajar em épocas altas! Lá tive de mudar os planos e ir para El Calafate, já que não queria ficar tanto tempo no Ushuaia. Foi uma viagem de 17 horas bastante complicada porque tinha ido sair na noite anterior e…não dormi! Digamos que dormir em autocarros em geral não é muito confortável (ainda assim perdi a conta da quantidade de night buses que já apanhei), mas com uma ressaca em cima, a situação agrava-se bastante.

Onde ir em Ushuaia?

Há imensas caminhadas que podes fazer e tours programados pelo hostel ou por agências de viagens. O meu conselho é visitar a Laguna Esmeralda, escalar o Glaciar Martial que fica a 7Km da cidade e tem uma vista incrível sobre a cidade, visitar os pinguins no seu habitat natural e provar carne de cordeiro cozinhada de maneira local e truta. Obviamente que não podes deixar de ir a Ushuaia sem visitar o Parque Nacional Tierra del Fuego que como podes ver pelas fotos em baixo é um lugar maravilhoso.

LRG_DSC00490LRG_DSC00433

LRG_DSC00417

Onde ir em El Calafate?

À semelhança de Ushuaia, o turismo em El Calafate é mais convencional. Normalmente é onde as pessoas ficam hospedadas para visitar o Glaciar Perito Moreno que fica a uns 80Km.  Recomendo bastante o hostel onde fiquei, Hostel iKeuken, até agora um dos meus hostéis preferidos! Não só pelas instalações mas também pelos membros do staff que foram impecáveis connosco. O hostel tem vista sobre o Lago Argentino que tem uma cor azul turquesa quando o sol incide.

Screen Shot 2018-09-12 at 19.03.22

Vista do Hostel iKeuken sobre o Lago Argentino

A forma mais fácil de chegar ao Glaciar Perito Moreno é de táxi (convém partilhar com mais pessoas para ficar mais barato) mas podes também tentar pedir boleia à saída de El Calafate, ou procurar um autocarro local. A outra opção seria ires com um grupo organizado por uma agência de turismo, que fica sempre mais caro, mas se estás a viajar sozinho/sozinha é uma ótima maneira de conhecer pessoas. A entrada no Glaciar é à volta dos 500 pesos argentinos (preços de Janeiro 2018). É caro mas que vale a pena, vale. Isso é indiscutível!

O Glaciar em si é encantador, um dos fenómenos naturais mais belos a que já assisti! Está localizado no Parque Nacional Los Glaciares na província de Santa Cruz. Se tiveres sorte e paciência pode ser que assistas a um grande bloco de gelo a cair. Leva um livro se te apetecer relaxar e aproveitar a vista enquanto lá estás! Podes caminhar por toda a parte, existem caminhos definidos todos montados com uma estrutura de madeira e metal. Perde-te por esses caminhos e desfruta da paisagem única.

LRG_DSC00552LRG_DSC00554LRG_DSC00561

LRG_DSC00625LRG_DSC00609

Onde ir em El Chaltén?

Este lugar é mágico e apenas a duas horas e meia de El Calafate. É o meu lugar preferido no sul da Argentina e de longe a caminhada mais bonita que já fiz. Muitos comparam as paisagens de El Chaltén à famosa paisagem de Torres del Paine no Chile, que é considerado dos trekkings mais bonitos do mundo. E a melhor coisa é que todos os percursos são grátis, o que é muito pouco comum na Patagónia. Quando cheguei a El Chaltén Fiquei instalada no El Relincho que é um campsite bastante bem equipado. Se vais sem tenda posso aconselhar o Hostel Los Viajeros, bom preço e pareceu-me bastante bom!

Screen Shot 2018-09-12 at 20.31.50

El Relincho

El Chaltén é uma pequena vila encantadora e com pessoas muito amigáveis. Tanto os locais como os turistas. É daqueles lugares onde chegas e sentes de imediato uma vibração positiva, um ambiente alegre e um espirito de entreajuda. Aqui tens uma variedade enorme de coisas para fazer, desde caminhadas de 1 dias, caminhadas longas de 7 dias ou mesmo escalada/rock climbing.

A caminhada mais popular é o caminho até ao Mount Fitz Roy. Fica a 25Km de El Chaltén e consegue-se facilmente fazer em 6 horas. Chegando ao Fitz Roy depois de uma longa caminhada e uma última parte um pouco mais complicada devido à condição e inclinação do piso, encontras a Laguna de Los Tres, que tem vistas espetaculares para o Fitz Roy. Não desesperes porque vai valer tanto a pena quando chegares lá acima!

LRG_DSC00696

Início da caminhada em El Chaltén

LRG_DSC00790

Laguna de Los Tres com vista para o Mount Fitz Roy

LRG_DSC00827

Screen Shot 2018-09-12 at 20.39.51

Bouldering/Rock climbing em El Chaltén

Screen Shot 2018-09-12 at 20.42.36

O segundo percurso mais popular é o caminho até ao Cerro Torre, uma caminhada bastante fácil e mais uma vez com paisagens incríveis. Aconselho, entre estas caminhadas, passar pela Laguna Madre e Laguna Hija (ver mapa abaixo).

Eu acampei 3 dias em lugares diferentes, no acampamento mesmo antes de chegar ao Fitz Roy (Poincenote) e no acampamento D’Agostini antes de chegar ao Cerro Torre. Recomendo acampar em vez de fazer estes trekkings separadamente e voltar a El Chaltén. A grande vantagem é que aproveitas as paisagens sem estares rodeado de pessoas e podes ver o nascer do sol quase sozinho! Se realmente estás a pensar ir vais precisar do mapa que adicionei aqui:

map_elchaltentrek

E aqui ficam as minhas recomendaçōes para passares umas férias incríveis na Patagónia e um pouco do registo da minha aventura. Não hesites em comentar se tiveres alguma dúvida 🙂

4 thoughts on “PATAGÓNIA: Um lugar de sonho no fim do mundo

    • See me Twice says:

      Ola Alexandra! Se pretendes acampar leva uma tenda (investe numa tenda boa porque faz bastante frio e pode chover) e um saco-cama de Portugal (para temperaturas negativas) porque é muito caro comprar este material na Patagônia. Aliás, tudo é caro, por isso leva já tudo o que precisas relacionado com camping, roupas quentes e trekking shoes (investe nuns bons também, já que provavelmente vais andar muito) . Todas estas coisas podes alugar também mas vai ser caro. Depende da altura em que vais, se fores mais na altura do verão leva também roupa mais light/fresca porque faz calor nas montanhas. Para a noite leva uma camisola térmica para vestires debaixo do teu casaco impermeável. Outras coisas importantes seria: óculos de sol, protetor solar, protetor labial, lanterna de cabeça, chapéu de sol, camisola quente, camisola térmica, casaco impermeável, bikini(se estiver calor durante o dia podes refrescar-te nas lagunas). Eu apostaria mais em camadas de roupa em vez de um casaco super quente/volumoso que te vai ocupar bastante espaço na mochila. Espero que isto te ajude! Qualquer dúvida mais específica avisa 🙂

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s