São Tomé e Príncipe: tudo o que precisas de saber

Diferente de tudo o que conheci em África. Incomparável com Tunísia, Egipto ou Marrocos (os meus únicos pontos de referência até então), confesso que não era um destino que tivesse pensado visitar ou um lugar que me despertasse muito interesse. Ouvi falar muito, não só por ser uma ex-colónia Portuguesa, mas também por ter alguns amigos que fizeram voluntariado por lá. Hoje questiono-me como é que nunca tinha ido antes.

Vista da estrada de acesso ao Sul

A um voo direto de distância, em 6 horas de viagem chegámos a São Tomé. Um lugar que é marcado pela vegetação densa, mar azul turquesa e praias desertas de areia branca. Uma terra cheia de vida, abundante em plantações de café e cacau. Um povo simpático, calmo e alegre. Aquilo que aos nossos olhos parece pobreza, ali é felicidade.

A outro voo de distância, em 35 minutos de viagem chegámos a Príncipe. Do avião, só se avista praticamente vegetação, é uma ilha rodeada por água verde e azul cristalina. Um lugar muito especial, longe de tudo e tão caloroso.

Se estás a planear uma viagem a São Tomé, a minha primeira recomendação é marcares um voo também para Príncipe. Vale a pena sim!

Eu acabei por marcar tudo através de uma agência de viagens porque, tendo em conta os hotéis onde eu queria ficar, ficava bem mais em conta. Não é uma viagem barata, começando pelo voo em si, hotéis, comida… No entanto, é possível fazer esta viagem com um budget mais reduzido se conseguires marcar voos com alguma antecedência e se optares por residenciais ou casa de hóspedes em vez de hotéis. Tenho de confessar que desta vez eu deixei de lado o meu backpacker travel style 🙂

Saí de Lisboa num voo às 00:05, por isso cheguei bem cedo a São Tomé. A ideia pareceu ótima na altura de reservar o voo, mas claro que nunca se descansa a 100% no avião. No entanto, desta forma não se perdem horas do dia em viagem. Chegando a São Tomé, o driver do transfer do hotel estava já pronto para nos levar até ao Hotel Pestana, onde ficámos as primeiras 2 noites.

É muito útil teres os transfers incluídos na tua estadia ou falares com um guia previamente para te acompanhar no percurso que pretendes fazer. A outra opção é alugar carro ,mas sinto que teria perdido bastantes lugares, conversas e informações sem a presença dos guias (que também são drivers).

Não esquecer:

  • Para entrar em São Tomé é necessário passaporte com mínimo de validade de 12 meses desde a data de regresso!
  • Levar dinheiro levantado para a viagem inteira. Não há forma de pagar com multibanco. Eles aceitem Euros em todo o lado e o troco tanto te dão em euros como em dobras.
  • A internet não funciona bem, a não ser nos hotéis. Vai preparado para desconectares.
  • Leva repelente!

Vou-vos contar qual foi o meu percurso e aquilo que teria feito diferente para vocês não cometerem o mesmo erro!


O MEU PERCURSO / ONDE FICAR

Voei pela STP Airways que tem um voo direto uma vez por semana, ao Sábado. Parte às 00:05 de Lisboa e chega às 5:15 a São Tomé, sendo que ganhamos 1 hora lá (a duração do voo são 6:10h). A TAP também voa para São Tomé, é uma questão de compararem preços e horários.

Voo Lisboa-São Tomé

  • 2 noites em São Tomé (Pestana)
  • 2 noites no Praia Inhame Ecolodge (este ecolodge é no Sul da ilha, uma paragem obrigatória. No entanto, aconselho a ficarem talvez 2 noites aqui e dormirem uma noite em São Tomé porque foi bastante puxado sair de madrugada do Sul para apanhar o voo para o Príncipe às 9h da manhã em São Tomé).

Voo para Príncipe

  • 2 noites no Hotel Roça Sundy (teria ficado mais noites aqui mas sem roubar noites nos outros lugares. Se tiverem mais dias aconselho a ficarem no Príncipe no mínimo 3 noites).

Volta para São Tomé

  • 1 noite em São Tomé (Pestana)

Voo Lisboa-São Tomé

Aconselho a irem com bastante antecedência para o aeroporto (3horas) porque as filas são grandes. O aeroporto é pequeno e os passageiros Africanos levam muitas malas no porão e na cabine, o que demora imenso tempo a passar pelo controle. Se quiserem evitar esperar em pé vão cedo!


ILHA DE SÃO TOMÉ

A ilha de São Tomé pode ser visitada por zonas e assim tens a certeza que não perdes nada: Norte, Centro e Sul. Na cidade as praias não são tão boas, pelo que recomendo o Sul para esse propósito. Em relação ao Centro, pode-se visitar num dia que estejam em São Tomé. Não aconselho ficarem lá a dormir se tiverem os dias contados. Quanto ao Norte, também se faz bem com a base em São Tomé, mas se decidirem ficar a dormir lá aconselho o Hotel Mucumbli, em Neves. Fui almoçar lá na visita ao Norte e adorei! 

CIDADE DE SÃO TOMÉ

Na cidade em si, aconselho a caminharem pela baía para verem a forma como as pessoas vivem e as dinâmicas do dia-a-dia. Podem visitar também o mercado de artesanato e caminhar pela cidade para conhecerem os vários edifícios. De resto, a cidade não tem muito mais para ver.

Onde comer? 

  • Papa Figo: comi muito bem, mas é um pouco mais turístico.
  • Dona Tété: aqui encontram-se bastantes pessoas locais.
  • Diogo Vaz: lugar bom para ir beber um café e comer um chocolate.
  • Omali: lugar com comida mais europeia.

CENTRO

O que visitar? 

Os guias sabem estas paragens todas e vão levar-vos a muitos mais lugares na rota ao Centro mas estes para mim foram os mais especiais. 

  • Cascata S. Nicolau
  • Parque Natural Obô
  • Cascata Bombaim 
  • Trindade
  • Cascata Milagrosa

Onde comer? 

  • Casa Almada Negreiros: Na Roça Saudade e mais perto da cidade, apenas a meia hora, é um bom restaurante para almoçar a meio da visita ao centro. O menu é de 18€, gostei muito!

SUL 

O que visitar? 

  • Boca do inferno 
  • Praia Micondo
  • Porto Alegre
  • Praia Inhame
  • Praia Piscina
  • Ihéu das Rolas: é onde está a linha do equador e o Praia Café, onde aconselho a almoçarem na visita à ilha.
  • Praia Jalé (pôr do sol)
  • Cascata Praia Pesqueira
  • Porto Alegre

Onde comer? 

No caminho de São Tomé para o Sul podem parar para almoçar na Roça dos Angolares. Este é o restaurante do chef João Carlos Silva do programa da Roça dos Tachos e fazem menu de degustação a 25€. Apenas 1 hora a sul de São Tomé.

De resto, é provável que acabem a jantar no próprio hotel onde vão ficar, seja o Inhame Ecolodge ou o Praia Piscina. Os acessos das estradas ali no Sul não são fáceis, por isso acabámos por jantar sempre no hotel. 

NORTE 

Mais uma vez, se fizeres como eu e visitares o Norte durante o dia, o guia saberá todos os lugares interessantes para parar. Deixo aqui algumas referências de lugares que recomendo. 

  • Mucumbli: se não ficares lá uma noite a dormir, podes ir apenas visitar ou almoçar.
  • Roça Diogo Vaz
  • Túnel de Santa Catarina
  • Lagoa Azul

ILHA DO PRÍNCIPE

Se existe paraíso na terra, provavelmente é este lugar. Uma ilha verdadeiramente apaixonante.

Eu tinha já alguns contactos de guias turísticos que levam a conhecer a ilha, mas chegando à Roça Sundy, onde fiquei alojada, apercebi-me que eles ofereciam o transfer a guia para ir connosco aos vários lugares. Bastante conveniente!

Onde ficar?

O Hotel Roça Sundy mistura história e natureza. Com uma arquitetura colonial e vista panorâmica sobre a vegetação quase fluorescente, é a maior e mais emblemática da ilha. A casa principal da Roça foi recuperada e convertida num hotel com 12 quartos. Podem também fazer a visita à roça e ver os edifícios adjacentes com o hospital, a igreja, etc. Durante toda a estadia o staff foi extremamente amável e atencioso.

Se ficarem hospedados no Roça Sundy, ficam com acesso também ao bar, restaurante e à praia do Praia Sundy, que é um outro hotel do grupo absolutamente incrível. Com um ambiente moderno, este hotel de 5 estrelas conta com uma piscina e um restaurante todo feito em bambu. Há um trilho de 15 minutos a pé que liga os dois hotéis e vale muito a pena ir até lá visitar. Quem sabe beber um cocktail no bar e dar um mergulho na piscina!

Um outro Hotel onde podem ficar é o Hotel Roça Belo Monte, que também preserva um estilo colonial de uma mansão de charme. Vale a pena visitar a Roça mesmo que não fiquem hospedados aqui.

Convém saber que a Cidade de Santo António, capital do Príncipe, tem algumas residenciais bem mais em conta do que as Roças fora da cidade (Hotel Bom Bom, Roça Sundy, Roça Belo Monte e Praia Sundy).

O que visitar?

Praias:

  • Boi (das praias mais incríveis que já vi!)
  • Banana
  • Bombom
  • Santa Margarida (Praia Sundy)
  • Macaco

Outras coisas que deves fazer:

  • Caminhada Pico Papagaio
  • Fazer a volta de barco: não fiz porque fiquei sem tempo, mas fiquei com muita pena.
  • Roça Paciência
  • Miradouro praia banana
  • Trilho no parque nacional do Príncipe

Onde comer?

  • Restaurante Rosa Pão
  • Restaurante Juditinha
  • Tia Zinha

Estas são algumas das dicas que tenho para ti. Aproveita e qualquer dúvida podes perguntar na secção dos comentários!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s